Sob o meu olhar

Aqui neste blog, vocês poderão ver, ler e comentar a respeito do que escreverei. Por meio deste meu olhar sincero, tentarei colocar artigos e dar minha opinião sobre questões atuais como politica, problemas sociais, educação, meio ambiente, temas que tem agitado o mundo como um todo. Também escreverei poesias e colocarei poemas de grande poetas que me afloram a sensibilidade, colocarei citações e frases pequenas para momentos de reflexão.
É desta forma que vou expor a vocês o meu olhar voltado para o mundo.

16/09/2012

Solidariedade (Jorge Hessen)


O que é solidariedade? 
Para os egoístas a palavra reverbera perturbadora. Incomoda porque o seu verdadeiro significado impõe mobilização de recursos em favor do próximo. 
Fundamenta-se em valores que não conseguimos quantificar. 
Mas, o que é ser solidário? 
É sentir a necessidade íntima de partilhar, é querer ir mais além, é perceber que a alegria de dar é indiscutivelmente superior à de receber; é estender a mão ao próximo sem olhar sua raça, condição gênero, conta bancária. 
A internalização do sentimento solidário torna-nos efetivamente pessoas melhores. 
A solidarização é o “sentimento de identificação com os problemas de outrem, o que leva as pessoas a se ajudarem mutuamente”. 
É uma maneira de assistência moral e espiritual que se concede a alguém, seja por simpatia, piedade ou senso de justiça. 
No sentido de laço de união fraternal que une as pessoas, pelo fato de serem semelhantes, chamamos de solidariedade humana. 
É compromisso pelo qual nos sentimos em obrigação umas em relação às outras, ou seja, é a interdependência e a reciprocidade.

Infelizmente vivemos num ambiente social de quimeras postergadas, de sonhos frustrados, de mentes cansadas, numa sociedade de nódoas morais, de “mentes vazias” e atoladas nas futilidades hodiernas, isoladas no cipoal do “ego” enregelado. 
Vivemos completamente mergulhados na vida egocêntrica, que nos remete irreversivelmente à solidão. 
Aprimoraram-se as teorias sociais de solidariedade e nunca houve tanta discórdia”.

Os males que afligem a Humanidade são resultantes exclusivamente do egoísmo (ausência de solidariedade). 
A eterna preocupação com o próprio bem-estar é a grande fonte geradora de desatinos e paixões desajustantes. 
A solidariedade é a caridade em ação, a caridade consciente, responsável, atuante, empreendedora. 

A solidariedade na vida social é como o ar para o avião.
 O avião, apesar de toda tecnologia, se não tiver ar ele não voa. 
A prática desse sentimento vivifica e fecunda os germens que nele existem, em estado latente, nos corações humanos. 
A Terra, local de provação e de exílio, será pacificada por esse fogo sagrado e verá exercido na sua superfície a caridade, a humildade, a paciência, o devotamento, a abnegação, a resignação e o sacrifício, virtudes todas filhas do amor e da solidariedade.

É imprescindível darmo-nos, através do suor da colaboração e do esforço espontâneo na solidariedade, para atender, substancialmente, as nossas obrigações primárias.

Ante as responsabilidades resultantes da consciência doutrinária, que nos impõe a superar a temática de vulgaridade e imediatismo ante o comportamento humano, em larga maioria, a máxima da solidariedade apresenta-se como roteiro abençoado de uma ação consciente, capaz de esclarecer e edificar os corações, com a força irresistível do exemplo.

2 comentários:

  1. Esse texto lembra muito o OSHO, ainda que seja ligeiramente mais engajado do que aquele.

    De fato...essa é a condição humana. Temos muito o que evoluir, que tornarmo-nos mais simples, para apreciarmos os valores que realmente valem a pena.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Grata pelo seu comentário Eudyr.

    ResponderExcluir